hoje, melhores poemas de Luiz de Miranda

Lconvite

írica

A cor do amor
é transparência
refletida dia a dia
na lembrança

Mas que fazer ao dia
que é moinho
entre os caminhos
moinhos só e sem vento
moinhos reduzidos ao pensamento

Que fazer à vida
que é viagem
a transportar a poesia
de cada dia
a abrir ventos na alma?

Que fazer na vertical medida
deste amor em morte
desta dor sozinha
como um véu de sombra
dentro da chuva?

É preciso cuidado vítreo
no amor
para não perder o vigor
o contínuo viver do espelho
interno
onde a figura amada
é sempre uma beleza transladada

Luiz de Miranda, p146, Nova Antologia Poética, 1997,Editora Sulina.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Untitled Document
Home | PhotoPoemas | Clube de Leituras | Projeto Vidráguas | Publicações | YouTube | Contato

Tivemos 9.082.506 visitas desde 14/01/2009
Todos os direitos reservados. Copyright ©
Analista de Sistemas Rúbia Formigheri

Rua Francisco Ferrer, 441/507.
Rio Branco - Porto Alegre / RS
Telefone (51) 3392 3727