Anoitecendo com Walt Whitman…

Ao anoitecer, um poema de Walt Whitman! 27. Ser de alguma forma qualquer – o que é isso? ( Giramos e giramos, todos nós, e sempre voltamos ao mesmo ponto.) Se nada houvesse mais evoluído, a ostra em sua calosa concha deveria bastar. Não tenho calosa a concha: tenho instantâneos condutores por mim todo, esteja eu parado ou em movimento, e eles apreendem todas as coisas e sem dano as conduzem através do meu ser. Eu simplesmente me animo e tateio, sinto com os dedos e fico feliz: tocar com minha pessoa a de outrem é quase o máximo a que eu posso resistir. WHITMAN, Walt. ( 1819 – 1892 ). In: Folhas das folhas de relva. Seleção e tradução Geir Campos, introdução Paulo Leminski. São Paulo: Brasiliense, 2002. p.p....

Leia Mais
Untitled Document
Home | PhotoPoemas | Clube de Leituras | Projeto Vidráguas | Publicações | YouTube | Contato

Tivemos 9.904.833 visitas desde 14/01/2009
Todos os direitos reservados. Copyright ©
Analista de Sistemas Rúbia Formigheri

Rua Francisco Ferrer, 441/507.
Rio Branco - Porto Alegre / RS
Telefone (51) 3392 3727