Lendo Abrão Slavutzky no Jornal Zero Hora…

Que boa reflexão, compartilho… O poder da leveza por Abrão Slavutzky* A palavra viva é capaz de transpor os limites do papel e entrar na vida do leitor. Algumas entram de tal forma que mudam a forma de pensar de quem lê. E assim começa a construção do vínculo entre o escritor e o leitor. Vínculo que pode gerar uma amizade misteriosa, intermediada pelas palavras. Um breve exemplo: há uns 15 anos, li um ensaio sobre a palavra leveza escrito por Italo Calvino. O livro é Seis Propostas para o Próximo Milênio. Nele, afirma que prefere a leveza ao peso, pois buscou subtrair o peso ora das figuras humanas, ora das cidades, ora da vida. Talvez seja esse um dos principais objetivos das palavras como instrumento terapêutico, ou seja: diminuir o peso...

Leia Mais

Poesia nas veias, já…

Poesia nas veias, já… “A pena do poeta é uma arma carregada de futuro, nela está, sempre estará a palavra como meio de transporte e aí… temos que nos movimentar, temos que UIVAR, mas que não nos faltem palavras, que não seja seco o útero da pátria que nos chama… ” Carmen Silvia Presotto – Vidráguas!

Leia Mais

Poema-cinema, O perfume por Margarida Cimbolini

O Perfume por Margarida Cimbolini França Paris 1738 Mercado do peixe No meio do pescado votado há morte Jean-Baptiste é nado não o quis a sorte Sentindo o destino fica só cresce é vendido O olfacto é seu mote cheira antes da fala cheira pedras animais perfumes do mundo odor abençoado talvez o odor do diabo Jean,Jean-Baptiste. aprende perfume no perfumista Tem objecto primeiro certo e certeiro o sublime odor do amor Quer a essência da alma sublime odor da criação da lima o oleo,da larangeira a flor aprende Jean a distilar o calor A perfeição,perfume da pele profume do ser,da mulher da beleza do prazer Quer o cheiro da alma quer o cheiro do vidro morre agoniza não consegue o perfume do ser vivo Corre mundo solidão infinita a essência da...

Leia Mais

Um encontro com a Arte de Vermeer

Fui me encontrar com a mulher de azul. por Mariza Bauer* Fui me encontrar com a mulher de azul. Quis convidá-la a passear no Trianon. Teria se encantado com o jequitibá mais antigo do que ela, eu sei. Com o dia azul-profundo, nos tons do seu vestido. Teria se sentado num banco esquecido e leria sossegada a sua carta. Achei melhor não assustá-la. Entre o museu e o parque, a avenida. E o cinza do asfalto, a correria, o trânsito. Entre mim e ela, trezentos e muitos anos. Mesmo assim houve um momento. Mulheres trocam confidências. Não sei se ela veio a mim ou se eu que fui a Delft. Foi só um instante. A carta do amado, ela me disse, trazia a boa nova. Em breve, voltaria pros seus braços. E logo eles seriam três, com a criança ora em seu ventre. O livro...

Leia Mais

Poemando nas Escolas, um exemplo a seguir…

E hoje nos encantamos com um poema de Sidónio Muralha – RECOMPENSA – Lemos, relemos… Pensamos… Quem entrou onde? Quem voou? Quanto tempo levou? E o que ficou em nossos corações… Eu gostei, as crianças gostaram E pediram para copiá-lo no caderno de leitura!!! Copiamos e ilustramos!!! Vejam nossa recompensa… vejam todo o trabalho feito com amor em Poesia no blog da professora Vanessa Vieira, Poemando com Pequenos, boa tarde!!...

Leia Mais

Espichando a con√ersa com a Professora Suely, um exemplo a seguir..

Liberdade é viver Texto de Daniele e Patricia T:11B* Dê liberdade para a liberdade para o bem. Liberdade sadia, que não prejudique ninguém. Ser livre, pra mim, não é fazer tudo o que queremos, é ter consciência do que fazemos. Muitas pessoas gabam-se da sua liberdade. Gostam de dizer que estão livres para fazer o que querem. Vão para onde querem, e para onde não querem não vão. Não querem estar amarradas a nada, nem esposa, nem família, nem filhos, e afirmam que nem Deus pode amarrá-las; estas pessoas são ultra-egoístas. Não adianta sairmos pelo mundo fazendo coisas erradas e prejudicando os outros; ter liberdade é ter respeito pelos outros e por si mesmo. Saibam mais * Aniele e Patricia T:11B, fazem parte de um projeto lindo e...

Leia Mais

Diálogo Gramático em Vidráguas…

DIÁLOGO GRAMÁTICO por Nei Duclós Olha aqui, Dois Pontos: não argumente comigo, disse o Ponto de Exclamação. Penetra uma vírgula! disse o Ponto. Eu tenho crachá! O U não saiu no desfile. Foi proibido de usar sua fantasia favorita, o trema. Quis dizer outra coisa, disse o Entre Aspas. Descemos no Ponto Final. Voltamos no Primeiro Parágrafo. Faça bastante perguntas, disse o açougueiro para o ajudante. Aí põe todas essas carnes nos ganchos. O segredo dos caras é que eles colocaram o Til fazendo pressão. Aumenta tudo. Temos que mostrar nosso Diferencial, disse o Acento. Estou em dúvida, disse o Ponto e Vírgula. Não ultrapasse o travessão, disse a...

Leia Mais

A lucidez embotada em Interiores Vidráguas…

A lucidez embotada por Paulo Quoos Conte Precisamos de antemão superar vícios que embotam todo e qualquer debate: A primeira conclusão que alcanço é que todo ser humano só é fiel aos seus preconceitos, pelos quais é capaz de matar ou morrer, então qualquer discussão se nega à lucidez. Buscamos sempre a comprovação de nossos conceitos que já sustentávamos anteriormente, eles são o farol da verdade que o outro não permite que ilumine seu pensamento, então estabelecemos uma assimetria onde sempre a verdade já está comigo e o engano está garantido ao outro. Ainda utilizando de dispositivos que confirmem que só eu me proponho a analisar com honestidade o assunto, o outro “legisla em causa própria”, é uma pessoa “rancorosa”,...

Leia Mais

A Corrosiva Ordem Silenciosa, uma reflexão em Interiores Vidráguas

A Corrosiva Ordem Silenciosa por Paulo Quoos Conte* Quais valores construímos silenciosamente para dar sustentação a ordem em uma sociedade? Três fatos em terras brasileiras no mesmo período de tempo: – A novela promotora e alimentadora de grande parte da consciência nacional apresenta uma mãe surtada em pleno desespero, frente à descoberta do filho que busca a sustentação de uma vida de consumo através da venda de seu corpo, traduzindo digo “se prostituindo” como “garoto de programa” ou “michê”. – Em Porto Alegre, um garoto de programa é espancado por seus colegas, outros garotos de programa, é expulso da sauna por cobrar de um cliente um preço inferior ao estipulado pela casa, na venda de seus...

Leia Mais

Professores que transformam, exemplo a seguir…

CIDADE DAS BRINCADEIRAS QUE ENSINAM por Vanessa Vieira Há muitos e muitos anos. Em um lugar muito distante daqui, havia uma cidade. Um lugar onde só moravam pessoas que tinham coração de criança. Lá nessa cidade todas as pessoas gostavam de brincar, eles passavam o dia brincando. A escola não era feita de prédio, todas as escolas funcionavam em um campo de futebol enorme e também não haviam alunos da primeira série, alunos da segunda série e tantas outras séries que nos conhecemos. Todos os alunos eram da mesma série e tudo o que se aprendia era através das brincadeiras. Leiam todo o texto aqui ou no blog da Professora Vanessa, Educar para transformar, um exemplo a seguir… Se eles tinham que aprender a somar eles arranjavam uma...

Leia Mais

Educação em foco e muita criatividade….

Trabalhando projetos na pré-escola por Professora Melissa Semana passada falei sobre como trabalhar projetos com as crianças da creche (0 a 3 anos) – leia aqui . Hoje venho falar sobre projetos com as crianças da segunda infância (3 a 6 anos), período de grande importância na formação da criança. Leiam toda a postagem aqui, ou no blog da Professora Melissa, onde também conhecemos mais de seu trabalho e projetos. De acordo com o livro “Projetos escolares na Educação Infantil” de Maria Carmem Silveira Barbosa e Mara da Graça Souza Horn, nesse período, elas são muito curiosas,com grande desejo de conhecer o mundo, de aprender. O adulto deverá desempenhar um papel desafiador, povoando a sala de aula com objetos interessantes,...

Leia Mais
Untitled Document
Home | PhotoPoemas | Clube de Leituras | Projeto Vidráguas | Publicações | YouTube | Contato

Tivemos 9.981.503 visitas desde 14/01/2009
Todos os direitos reservados. Copyright ©
Analista de Sistemas Rúbia Formigheri

Rua Francisco Ferrer, 441/507.
Rio Branco - Porto Alegre / RS
Telefone (51) 3392 3727