A VIDA (DES)AFORADA por Tânia Du Bois

A VIDA (DES)AFORADA por Tânia Du Bois A vida é o nosso maior patrimônio; nela temos a preocupação para com os bons momentos que podem nos levar ao o que queremos ser. Na cena, a única mesa barulhenta é onde a moça se destaca pela risada larga e penetrante. Gargalhada que, de repente, se altera em grito, no olhar desconfiado e no silêncio, ao ver o seu retrato na capa do livro. Sorrindo concede o autógrafo. Flagro-me na possibilidade de ver o prazer, junto com a verdade desejada em que tudo aumenta na sensação de trovejar com liberdade por andar onde não é proibido. Na realidade, boa parte da tiragem do livro era apenas lembrança da morte de sua arte. A autora, ao perfilar a evolução vital da pintora, mostrou a cultura da época e o seu...

Leia Mais

Viver o momento por Tânia Du Bois

VIVER O MOMENTO por Tânia Du Bois Vivo momento de alegria por ser cronista, e uma coisa é certa: escrever é atividade sem sossego. A ideia é construída ao longo dos dias. Aprender é ato ativo e o importante é que só praticando a literatura diuturnamente é que alcançamos a edição de um livro, em que tentamos demonstrar originalidade na abordagem de nossas “possíveis riquezas”. Não se trata de falar da própria autoria, mas, sobre o livro de Pedro Du Bois, EM CONTOS e do meu, O EXERCÍCIO das VOZES, que foram lidos e comentados pelo mestre e crítico Márcio Almeida: “MEU CARO PEDRO, “EM CONTOS” É A SUA VERSÃO NARRATIVA DE INTERPRETAR O MUNDO E NELA VOCÊ SE EXPÕE COM UMA FORÇA EXPRESSIVA SURPREENDENTE, SOBRETUDO NESTE...

Leia Mais

Ventilador de Ideias por Tânia Du Bois

Ventilador de Ideias por Tânia Du Bois É absolutamente fascinante mergulhar nas obras literárias e encontrar poetas que misturam suas sensibilidades como se fosse um ventilador a misturar os ares, espalhando ideias e palavras em sensação de prazer. Assim, delicio-me com a poesia e suas divergências expostas como pano de fundo que, conforme Orides Fontela, “tecem-se tempos para um só ato infindo”. A ousadia e o brilhantismo dos poetas me levam a espalhar suas palavras; e sempre surge a pergunta como desafio, “onde você leu isto ou aquilo?” Logo constato a energia investida por mim e mostro que os livros cobrem grande variedade de autores/obras, como um ventilador de ideias que conduz o leitor a abrir cada página. Leio os poemas e esmiúço as...

Leia Mais

Uma leitura sobre a obra de Agostinho Both por Tânia Du Bois

AGOSTINHO BOTH por Tânia Du Bois Vale a pena ler Agostinho Both. É escritor raro no nosso tempo, traz a personalidade de outros tempos culturais, em que a visão do todo dava intensidade aos textos. Ele usa a imaginação e o conhecimento para dimensionar com vigor a sua palavra. Assim, ganha o meu respeito e admiração em relação à sua arte literária, preocupada em retratar na sua escrita as “ambivalências humanas”. Sua postura é reconhecida pelo talento com que escreveu os livros: EXCESSOS DAS ALMAS E DAS COISAS; CONVERSA DE VELHOS e CONTOS do ENVELHECER. Sua observação da vida no cotidiano resulta na interpretação sobre o tempo: o mundo da velhice, da idade avançada, da maturidade que se pronuncia de um modo que não é ouvido nos dias de...

Leia Mais

Somos perguntáveis por Tânia Du Bois…

SOMOS PERGUNTÁVEIS por Tânia Du Bois Pablo Neruda, no O Livro das Perguntas, com ilustrações de Isidro Ferrer e a tradução de Ferreira Gullar, chama a atenção para as diversas perguntas que, diante do mundo, tem sabor de poesia. Como, “Porque as árvores escondem / o esplendor de suas raízes? Porque se suicidam as folhas / quando se sentem amarelas? Que dirão da minha poesia / os que não tocaram em meu sangue?” “Posso perguntar ao meu livro / se é verdade que o escrevi?” Somos perguntáveis por que em todos os momentos da vida o questionamento é importante, como demonstração de interesse, crescimento e mudanças; sem contar que as dúvidas sempre estão alojadas, ao longo do tempo, como parte da nossa concentração. “Quem me mandou...

Leia Mais

POEMAS GERMINADOS: AS CORES DAS PALAVRAS por Tânia Du Bois

POEMAS GERMINADOS: AS CORES DAS PALAVRAS por Tânia Du Bois por Tânia Du Bois Poemas Germinados é livro que traz as cores das palavras inspiradas no amor e desamor. Detalhe que dá o toque do autor: “… Não posso negar, / A sua ausência compromete o meu caminhar / ouço sussurros…”. A obra reúne poemas de Benedito Cesar Silva, onde “do verbo fez-se / A vida, o homem…” em Metáfora, “a linguagem a transformou”. Poemas Germinados é parceiro infalível de qualquer hora – afinal, o que mais nos deixa feliz, em poucos minutos? Sem contar o alto poder de sedução desses poemas retratados, que vão além do romantismo. São notáveis e incluem o brilho descrito em releitura de tons que combinam tanto com o dia, quanto com a...

Leia Mais

Lendo Tempo Submerso de Ludmila Saharovsky…

Uma carta, uma leitura, um encontro… Querida Ludmila! Que surpresa tive. Num dia de jogo do Brasil, chegou-me teu livro pelo correio. Conto, que já li, emocionada. Tuas palavras resgatam a história de um tempo que parecia apagado, mas sabemos: “Tempo Submerso”, tatuado, conVersado, observado, amado… o amor de transmissão, uma pedra de teu avô que lapidou em ti o mais puro amor, o amor que do amor ama e escreve, descreve, conta, reconta, faz e refaz o que parecia estar em esquecimento. E… hoje depois de reler minhas anotações em “Tempo Submerso”, reescreveria o poema Pisares, colocaria nele uma epígrafe: “pedras são os ossos da terra” e dedicaria meus versos a Ivan Fiodorovich Saharov, um avô que lembra a voz do...

Leia Mais

Polêmica: as mudanças por Tânia Du Bois

Polêmica: as mudanças por Tânia Du Bois Passamos muitas horas nos preocupando com o tempo, com o clima que encontraremos amanhã: calor demais ou chuvas? E, em proporções incontroláveis, talvez uma tragédia econômica, que poderá ameaçar o nosso futuro e quem sabe despertar a “ira planetária”. Em que poderá atrapalhar o nosso cotidiano as mudanças climáticas? Quem não procura saber como estará o tempo no próximo dia, para se organizar? Faça chuva ou faça sol, a vida continua… Não é bem assim, que a mudança no clima pode atrapalhar o nosso humor e os nossos planos. As mudanças nos impulsionam quando apostamos no nosso interesse intelectual; por exemplo, ler o livro Meteorologia: fatos & mitos 3, escrito por Gilberto Cunha. A...

Leia Mais

I Concurso Internacional de Literatura e Redação Henrique José de Souza, vamos participar?

POESIA EM LÍNGUA PORTUGUESA É INCENTIVADA EM CONCURSO LITERÁRIO Concurso Literário Henrique José de Souza premiará melhores poesias em língua portuguesa e divulga o nome deste professor, pensador e filósofo do século XX. Os poetas brasileiros e de países de língua portuguesa terão mais uma forma de divulgar suas composições: através do Concurso Literário Henrique José de Souza – Nova Xavantina – MT – Brasil. A primeira edição é promovida pelo Instituto Brasileiro de Ação e Cidadania, o i-cultural.br. O concurso literário tem como objetivo abrir um espaço para produções literárias em diversas categorias como: Poesia, Dissertação, Recital de Poema, Biografia Resumida, e também na cultura indígena, através do Conto para as...

Leia Mais

O Reflexo das Vozes por Tânia Du Bois

O Reflexo das Vozes por Tânia Du Bois Espelho, espelho meu, existe voz que reflita mais do que o Projeto Passo Fundo? O reflexo das vozes é o Projeto Passo Fundo; site que faz a diferença por oferecer, entre tantas formas de cultura, a literatura. É contato legítimo com a cultura. Reflete autores, épocas e estilos em diferentes obras. Não se limita em apenas apresentar os escritores, também faz uma explanação refinada, imparcial e absolutamente transformadora ao refletir as vozes dos autores do passado, presente e projetar as do futuro. Na verdade, o site se apresenta com sucesso: revelador e transformador que ocupa lugar de destaque na cultura. A conquista deve-se à dedicação do Ernesto Pedro Zanette, com seus colaboradores; mas, muito mais...

Leia Mais

Tânia Du Bois lendo Benedito César Silva…

DESEJO de AMAR por Tânia Du Bois Vejo Benedito César Silva como escritor que suspira a indagação no livro É POSSÍVEL DECIFRAR O AMOR? Ao poetizar as faces do amor, no mundo das palavras usadas artisticamente, ele não deixa de citar a condição essencial ao homem: o desejo de amar. “Dize-me quem tem razão / Quando o assunto é o amor: / A razão, / Que quer algo racional, / Ou o coração, / Que quer algo passional?” Sua poesia nasce do desejo de, no íntimo, criar o instante onde triunfa o pensamento e o mistério do sentimento, da emoção e da paixão como magia da vida. Busca no amor a verdade e a liberdade, refletidas no ser em cada movimento em renovação ao descrever a aproximação de quem quer: “Os olhos fixados / revelam o fervor dos...

Leia Mais
Untitled Document
Home | PhotoPoemas | Clube de Leituras | Projeto Vidráguas | Publicações | YouTube | Contato

Tivemos 9.981.492 visitas desde 14/01/2009
Todos os direitos reservados. Copyright ©
Analista de Sistemas Rúbia Formigheri

Rua Francisco Ferrer, 441/507.
Rio Branco - Porto Alegre / RS
Telefone (51) 3392 3727