O poder da licença poética por Tânia Du Bois

O poder da LICENÇA POÉTICA por Tânia Du Bois “quem sabe quanto é estranho / riscar em linguagem // um amor que se quer significa: / apenas é, age?…” (Alberto Martins) O ponto de partida é o mesmo, tudo influencia o escritor a se inspirar e, assim, muitas vezes, usa da licença poética como recurso, assim em Benedito Cesar Silva: “Da métrica refeita, / Da rima imperfeita / Um bom papo com os amigos”. Licença poética nada mais é do que “a liberdade que toma o poeta, às vezes, de desprezar as normas da gramática para sacrificar a versificação”. Na literatura é utilizada como “adorno”, dando poder à palavra e significado à expressão, pois, nenhum escritor pode realizar seu potencial, sem ser livre. João Carlos Meireles Filho...

Leia Mais

Tempaço II, poema de Carmen Silvia Presotto

Escrevendo ao 123º Desafio Poético com Imagens projeto de TaniaContreiras Arteterapeuta TEMPAÇO II não há ausência pra quem sempre esteve presente gotícula do universo na agulha do medo costuro o ar, como se colasse o tempo poesia, saudade! dias infindos volta e giro hera, quimera colar… dou linha ao infinito, remendo-me… Carmen Silvia Presotto – Vidráguas – nov/2014. Imagem: Chema...

Leia Mais

Para além de mim, poema de Carmen Silvia Presotto

Desafio poético… Para além de mim a quem chegar meu ar… verso ao instante intenso ao pretenso encontro um olhar um afago um carinho leitura e ninho verso no escuro a alguém um poema futuro… livro aberto entre flores… e histórias coração sem véu a céu aberto, poesia ao léu… minha humanidade, vivas serão as memórias! Carmen Silvia Presotto – Vidráguas. Nov/2014. Seguindo do desafio poético de TaniaContreiras Arteterapeuta, deixar um poema no banco de uma praça, buscar alguém para somar o sentir, e que venha resposta…...

Leia Mais

Sudário, poema de Carmen Silvia Presotto

Um poema ao entardecer… SUDÁRIO A vida é lance encaixe alcance A vida é rumo trama sumo A vida por certeza, e sorte é o atalho da morte… … meta concreta. Carmen Silvia Presotto – Vidráguas! nov/2014. A arte é de Vladimir Kush!

Leia Mais

Alterado ou alternado?, por Tânia Du Bois

ALTERADO ou ALTERNADO? por Tânia Du Bois Ivan Cláudio escreveu que “Para as pessoas comuns, dicionários são muitas vezes como catálogos telefônicos que só costumam ser consultados em situações de urgências”. No entanto, no meu cotidiano, manuseio com frequência o dicionário; principalmente após a consulta médica, para me certificar da diferença entre alterado e alternado. Alternado, significa revezado. Alterado, significa modificado. Como tomar o remédio, se está escrito errado? O médico usou incorretamente o significado da palavra, alterando o modo de usar a medicação. Chego a triste conclusão de que muitas pessoas tem a pretensão de saber e não tem o conhecimento necessário. Custaria ao doutor consultar o dicionário? Pois, uma coisa...

Leia Mais

Parto poema, poema de Carmen Silvia Presotto ao Desafio Poético de Tânia Contreira

Escrevendo com a imagem. 120º Desafio Poético com Imagens, projeto da poeta e amiga TaniaContreiras Arteterapeuta. PARTO POEMA O verso que se pretende outro universo não sai, de mim não sai… olho para todos os lados nada, além de mim penso em 3 D… o imaginário late a face condena recolho a simultaneidade que amanhã, outros espelhos me condenem hoje, narciso múltiplo, sou minha própria poluição… Carmen Silvia Presotto – Vidráguas! Arte: Abbey...

Leia Mais

Preciso de um poema teu…, poema de Carmen Silvia Presotto

Um poema ao dia… Preciso de um poema teu… que ele venha com o porteiro por caixa, e-mail face, bilhete, rosas ou correio que venha por ondas marés, quinteto entrelinhas quadras ou soneto mas que chegue imerso, livre em versos precioso… … preciso um poema por inteiro… por empréstimo consórcio ou favor seja o meio que for que nele estejas todo… todo por amor! Carmen Silvia Presotto – Vidráguas! A arte é de Ive M....

Leia Mais

Às mãos que escrevem, Ave Poesia!

A todas mãos que escrevem, amam, conVersam – do Norte ao Sul, Portugal e amigos do Mundo – um bom anoitecer. Ave Poesia! Minha Pátria está no coração. Um poeta sabe que a humanidade é sua melhor região. Carmen Silvia Presotto – Vidráguas!

Leia Mais

Cara Apagada, poema de Carmen Silvia Presotto

Escrevendo com a imagem. 119º Desafio Poético, projeto de TaniaContreiras Arteterapeuta. CARA APAGADA Onde está o olhar que antes tudo iluminava? onde está o nariz que ao perfumar me perfilava? e a boca… sumiram os beijos? me deleto da série borro a matriz a tempo de me reinventar no tempo resta a mala, em mãos uma esperança descansa Ser Viajante… … parto! Carmen Silvia Presotto – Vidráguas! Arte: Van...

Leia Mais

Revelação: o “ANTIPOEMA” por Tânia Du Bois

Revelação: o “ANTIPOEMA” por Tânia Du Bois Os dias são repletos de segredos e surpresas, como significado para manter, renovar, melhorar, mudar e recomeçar o que considero importante em busca do essencial, da sensação do viver, como canta Simone, “… vestidos de saudades vivas”. Segredo é o que que se revela a alguém, algo importante para a vida. A dúvida permanece quando o segredo deixa de ser, por que foi revelado quando era para ser reservado. Já a surpresa pode ser agradável e, por vezes, contribuir para causar ótima impressão em outra pessoa. Segredo e surpresa são palavras que desvelam e definem o estilo de vida; assim, nada mais natural do que compartilhar tais momentos com os amigos, o que de alguma forma impõe limites e...

Leia Mais

Bar: um olhar, por Tânia Du Bois

BAR: um olhar por Tânia Du Bois Nilto Maciel pergunta: “você acredita em amizade?” Taveira responde, “Não só acredito como não posso viver sem meus amigos”. A vida passa no instante em que encontramos os amigos na mesa do bar. Entre músicas, palavras e os múltiplos caminhos, o bar é o limite que dá sentido para quem procura outro sentido: contar histórias e ouvir mentiras satisfeitas e insuspeitas, como a lâmina da faca dá emoção às palavras sem compromisso, como as indagações na possibilidade de esconder e desvelar segredos – causos se cruzam nos espelhos. Quando vejo o grupo de amigos reunidos na mesa de um bar, lembro o livro de Miguel Guggiana, “Garçom, a Saideira!”, presente no olhar com que detona velhas histórias...

Leia Mais
Untitled Document
Home | PhotoPoemas | Clube de Leituras | Projeto Vidráguas | Publicações | YouTube | Contato

Tivemos 9.981.517 visitas desde 14/01/2009
Todos os direitos reservados. Copyright ©
Analista de Sistemas Rúbia Formigheri

Rua Francisco Ferrer, 441/507.
Rio Branco - Porto Alegre / RS
Telefone (51) 3392 3727